A Estrutura de Gênesis 38 – Parte 5

(Continuação da postagem anterior)

Parte B ‘(vv 24-26)

A- E aconteceu depois de três meses, Tamar está grávida (24)

B- Disse Judá: Traga-a para fora, traga-a para ser queimada (24)

C- Pelo homem a quem pertence essas coisas eu estou grávida (25)

C- ‘Reconheçe de quem é este selo, este cordão e esse cajado pertencem? (25)

B- ‘Judá disse: Ela é mais justa do que eu (26)

A- ‘E aconteceu ao tempo de dar à luz que havia gêmeos em seu ventre (27)

Esta cena, em muitos aspectos, proporciona um contraste com B. Lá Tamar não teve filhos, agora está grávida. O problema que perpetuou a sua falta de filhos em B, a saber, que Selá não foi entregue a ela, é finalmente reconhecido por Judá em B ‘. Além disso, a justiça de Tamar contrasta com a maldade de Er e Onã. Assim, os principais problemas mostrados em B agora foram resolvidos e a história está bem no caminho para o desenlace.

Tanto em B quanto em B ‘Judá fala duas vezes. Suas duas declarações iniciais são comandos que não são executados porque outro personagem frustra seus planos. Isso destaca a impotência de Judá na história. Ele quer estar no controle, mas ele não está. Em B, o plano é frustrado por causa da iniqüidade de Onã, em B ‘o plano é frustrado porque Judá percebe sua própria maldade. Assim, Judá não pode culpar mais ninguém, mas apenas ele mesmo. Essa realização é um elemento chave na história e mostra que a experiência com Tamar teve o efeito de ensino desejado. Judá, que enganou seu pai no capítulo 37, é enganado a si mesmo, mas no final percebe que ele próprio é uma grande parte do problema. Esta realização é a segunda declaração em B ‘, que se conecta à segunda declaração em B, através da menção de Selá. Ali, Judá se comportou como Onã: ele fingiu que daria, mas por razões egoístas, não o fez. Assim, as segundas declarações em B e B’ passam do início do problema para a realização do problema.

No centro da seção, estão as duas afirmações de Tamar: “Pelo homem a quem pertence, estou grávida” e “Reconheça de quem é esse selo e este cordão e cajado”. A resposta é óbvia e é essa a resposta que implica Judá. Ele é tão culpado quanto ela, de fato, como ele próprio admite, ele é mais culpado do que ela, porque ele a levou a fazer o que ela fez, não dando a ela seu filho Selá. Judá apenas lhe entregou seus itens pessoais em vez de seu filho. Assim, a prole que poderia ter sido produzida por meios legítimos agora é produzida por meios ilegítimos.

O centro da seção, obviamente, lembra o leitor atencioso mais uma vez de Gen 37. Lá, os irmãos (incluindo Judá) fizeram com Jacó o que Tamar agora faz a Judá. Os irmãos enviam a roupa rasgada e sangrenta de José a Jacó e pedem-lhe que a identifique. Em Gen 38, Tamar envia os itens pessoais de Judá e pede-lhe para identificá-los. Através da repetição, o autor mais uma vez enfatiza como Judá é enganado da mesma maneira que ele e seus irmãos enganaram seu pai no capítulo anterior.

Há também conexões fortes para C. Mais uma vez, Judá e Tamar são os personagens principais. Em C, algo sobre Judá foi relatado a Tamar, levando-a a agir em relação a ele. Em B, algo sobre Tamar é relatado a Judá, levando-o a agir em relação a ela. A ação de Tamar funciona, as de Judá não, ironicamente e precisamente porque a ação de Tamar funcionou. Porque ele foi enganado em C, ele agora pode ser exposto em B ‘. Os meios para o expor são os próprios itens que ele deu em C. Além disso, a palavra-chave “enviar” reaparece. Na cena anterior, Judá tentou, sem sucesso, mandar algo para Tamar. Agora, Tamar envia com sucesso a Judá. Judá envia através de seu amigo para que ele não seja descoberto. Agora Tamar envia para expô-lo.

Parte A ‘(vv 27-30)

A- estendeu a mão, colocaram uma escarlate em volta da mão (28)

B- Ela disse: este saiu primeiro (28)

C- Quando ele puxou para trás sua mão, eis que seu irmão saiu (29)

B- ‘Ela disse: Como tu tens rompido, sobre ti é a rotura. (29)

A- ‘Saiu o irmão dele, aquele em cuja mão estava o escarlate (30)

Esta cena final é paralela a A. Ambas as cenas giram em torno de crianças e de dar nomes. Por causa do nascimento dos gêmeos no final da história, o número original de três filhos que Judá teve no início da história é restaurado. Assim, a história chegou ao círculo completo.

A cena também tem conexões para B. Em ambas as cenas há uma luta entre irmãos. Como em B, a luta entre os irmãos de A ‘parece ser uma ilustração para a maior luta entre os filhos de Jacó, em particular entre José e Judá. Como Onã, Judá não estava disposto a ajudar altruisticamente seu irmão José. Ele apenas o ajudou por ganho pessoal e, ajudando-o, na sua essência, impediu-o de ter a semente. Assim, José, que é claramente favorecido pelo pai, não poderá continuar a linhagem. Como Pérez, Judá ganhou preeminência sobre José e a declaração da parteira no v. 29 aplica-se também a Judá: como tu tens rompido, sobre ti é a rotura.

 

Traduzido de: https://fascinatedbytheword.wordpress.com/2013/10/31/the-structure-of-genesis-38-part-5/

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s